O que faltou?

 
blog-instituto-mudita-o-que-faltou.jpg

Hoje eu vou dividir com vocês uma reflexão minha sobre meu último empreendimento, que se consolidou por 30 anos como uma das empresas mais tradicionais do setor de cenografia corporativa e que encerrou suas atividades em setembro de 2015.

O que faltou? Esta foi a pergunta que martelou em minha mente por muitos meses depois daquele mês de setembro. Eu sabia que o meu propósito de vida não estava mais ali, mesmo assim a pergunta: O que faltou? Queria respostas!

O que faria uma empresa de 30 anos, reconhecida, com clientes de grande porte deixar de existir? Esta pergunta em minha mente precisava de respostas.

Afinal se o meu propósito de vida é apoiar e trabalhar para o crescimento do empreendedorismo e da inovação, é importante olhar para o meu próprio negócio como um estudo de caso e compreender quais situações favoreceram para chegarmos naquela decisão.  

Eu gostaria de dizer que a resposta é simples e que só tem uma alternativa, mas no mundo dos negócios, você empreendedor, gestor e líder sabe disso, nada é simples ao ponto de só ter uma única alternativa.   

Após uma reflexão extensa de oito meses eu sei que ainda não tenho todas as respostas, mas algumas já estão mais claras para mim. Eu vou dividir com vocês em alguns posts, para quem sabe, através da minha vivencia poder contribuir e apoiar o seu sucesso!

O primeiro motivo e talvez o mais importante seja o Ego, isso mesmo o Ego! Não entendeu? Eu vou explicar melhor, mas antes quero trazer algumas explicações sobre o que é o Ego do autor alemão renomado Eckhart Tolle, autor do livro O poder do agora.

“O ego tende a equiparar ter com o ser: eu tenho, portanto eu sou. E, quanto mais eu tenho, mais eu sou”.

“... sempre que nos sentirmos superiores ou inferiores a alguém, isso é o ego em ação.”

“Quando surgem obstáculos ou dificuldades no trabalho, nas ocasiões em que as coisas não ocorrem de acordo com a expectativa, sempre que as pessoas ou circunstâncias não são favoráveis ou cooperativas, elas não procuram formar imediatamente um todo com a nova conjuntura e responder às exigências do momento. Ao contrário: reagem contra a situação e assim se separam dela. Existe um “eu” que se sente ofendido ou ressentido. Com isso, uma enorme quantidade de energia é queimada em protesto ou raiva inútil quando poderia ser usada para resolver a questão, caso não fosse mal empregada pelo EGO”. 

“Na forma somos e seremos sempre inferiores a algumas pessoas e superiores a outras. Na essência, não somos inferiores nem superiores a ninguém.”

Por favor pare um pouco a leitura e pense um pouco sobre estas colocações de Tolle.

Quero trazer aqui uma reflexão sobre o Ego: Pense você empreendedor, líder e gestor que momentos no seu dia a dia o Ego comandou você e não o contrário. Pense quantas pessoas deixou de ouvir por acreditar que não valeria a pena perder alguns minutos com ela.

A pergunta é: o que você perdeu com isso? Quantas ideias, quantas soluções, quantas propostas poderiam gerar inovações e mudanças, pequenas que fossem, para o seu negócio e fazer toda a diferença?

O que faltou? Hoje vejo que faz muita diferença ouvir as pessoas e os diferentes pontos de vistas que eles tem sobre o mesmo assunto, ouvir de coração aberto e sem julgamentos. O ouvir empático e verdadeiro acreditando que realmente aquela pessoa pode ter a melhor alternativa, a melhor escolha, a melhor solução para a situação que você está vivendo no momento!

Quero citar aqui um autor que tenho uma admiração muito grande, este não será nem o primeiro e nem o único post que será mencionado, pois seus conceitos são muito atuais e universais.

Segundo Otto Scharmer autor da Teoria U e do Livro Liderar a Partir do Futuro que Emerge.

 “Toda grande liderança começa com a escuta – escutar com a mente, o coração e a vontade abertos. Escutar o que é dito e também o que não é dito. Escutar as necessidades e aspirações latentes de todas as pessoas.”

“Se você mantiver uma postura aberta em relação à sua ideia, o universo o ajudará. O universo quer sugerir maneiras para você melhorar a sua ideia”

Pense no seu negócio, pense em todas as pessoas que de alguma forma você se relaciona no seu dia a dia: clientes, colaboradores, lideres, fornecedores, parceiros, etc. Qual diferença pode existir para o seu negócio se você ouvir atentamente, sem julgamentos e de forma verdadeira o que eles tem para dizer? Qual pode ser o real resultado para o seu negócio?

Depois de toda esta experiência vivida hoje ouço cada detalhe, cada opinião, não importa de quem ou de onde vem, tudo pode de alguma forma fazer a diferença para mim e para a Mudita.

Aproveito este post para deixar um canal totalmente aberto entre vocês, a Mudita e eu o que puderem contribuir será recebido com muito carinho!